Total de visualizações

O Atendimento Psicopedagógico

O Atendimento Psicopedagógico

Quem ensina e quem aprende:

Quem ensina e quem aprende:

30 de maio de 2015

Como o professor pode ajudar no tratamento do Déficit de atenção e hiperatividade?



É comum que os professores tenham dúvidas sobre o Transtorno do Déficit de Atenção e/ou Hiperatividade, alguns não sabem de fato como contribuir para a melhora da criança.
Déficit de aenção
O TDAH não é um transtorno que afeta apenas o comportamento da criança. Na medida em que afeta também a capacidade para aprendizagem, a escola, em nome de todos os seus educadores,  precisa assumir o importante papel de organizar os processos de ensino de forma a favorecer ao máximo a aprendizagem dessas crianças. Para isso, é necessário que direção, coordenações, equipe técnica e professores se unam para planejar e implementar as técnicas e estratégias de ensino que melhor atendam às necessidades dos alunos que se encontram sob sua responsabilidade. O mais importante é o professor conhecer o TDAH e reconhecer que essas crianças necessitam de ajuda. Além disso, utilizar estratégias que possam ajuda-las no aprendizado também é fundamental para o tratamento das crianças que tem déficit de atenção ou Hiperatividade.

Para auxiliar os professores enumeramos algumas estratégias que podem ser usadas sempre com os alunos em sala de aula, em especial aqueles que tem déficit de atenção ou hiperatividade.
Déficit de atenção

Ao receber o aluno:

  • Procure identificar quais os talentos que a criança possui. Estimule, aprove, encoraje e ajude no desenvolvimento destes.
  • O elogio levanta a autoestima, então professor, elogie sempre que possível e tente ao máximo não evidenciar os fracassos.
  • Motive, seja otimista, transmita alegria, o prejuízo à autoestima frequentemente é o aspecto mais devastador para o TDAH.
  • O ensino deve ser interessante e prazeroso. O prazer está diretamente relacionado à capacidade de aprender. Seja criativo e afetivo, buscando estratégias que estimulem o interesse da criança para que esta encontre prazer na sala de aula.
  • Solicite ajuda sempre que necessário. Lembre-se de que a criança com TDAH conta com profissionais especializados nesse transtorno.
  • Evite o estigma, conversando com seus alunos sobre as necessidades específicas de cada um, com transtorno ou não.

Organizando o espaço

A rotina e organização são elementos fundamentais para o desenvolvimento de todos, principalmente para as crianças com TDAH. A organização externa irá refletir diretamente em uma maior organização interna. Assim, alertas e lembretes serão extremamente válidos.
Quanto mais próximo de você e mais distante de estímulos que farão as crianças com déficit de atenção se distraírem, maior benefício na aprendizagem ela poderá alcançar.
Sempre estabeleça combinados. Estes precisam ser claros e diretos. Lembre-se que ele se tornará mais seguro se souber o que se espera dele.
As regras precisam ser claras e os limites inclusive prevendo conseqüências ao descumprimento destes. Seja  sempre seguro e firme na aplicação das punições, quando necessárias optando por uma modalidade educativa. Por exemplo, em situações de briga no parque, afaste-o do conflito, porém mantenha-o no ambiente para que ele possa observar como seus pares interagem.
Adotar a afetividade é sempre a melhor maneira para educar todas as crianças, pois sabemos que estas crianças precisam de muito amor, compreensão e que todos nós acreditemos nas suas capacidades. Nosso desafio é prepará-las para que tenham uma vida plenamente feliz.